Hérnia Umbilical

Protuberância na região do umbigo formada através de acúmulo do revestimento do abdômen, parte do intestino ou fluido abdominal no

Sobre a doença

É uma protuberância anormal que pode ser vista ou sentida na região do umbigo. Esse tipo de hérnia se desenvolve quando uma porção do revestimento do abdômen, de parte do intestino e/ou fluido do abdômen se acumula através do músculo da parede abdominal.

Comum em bebês, a hérnia surge exatamente no local da cicatriz umbilical, geralmente, quando uma alça intestinal atravessa o tecido muscular. Baixo peso ao nascer e prematuros também são mais propensos a ter uma hérnia umbilical. As hérnias umbilicais são comuns, ocorrendo em 10 a 20% de todas as crianças.

Causas

O anel umbilical é formado por músculos e outros tecidos no local em que o cordão umbilical se liga ao corpo do feto. Este anel geralmente se fecha antes de o bebê nascer. Se os músculos não se unem completamente na linha média do abdômen, essa fraqueza na parede abdominal pode provocar uma hérnia umbilical ao nascimento ou mais tarde na vida. Não se sabe ao certo porque a hérnia umbilical se forma sem crianças. Em adultos, muita pressão abdominal pode causar uma hérnia umbilical. As possíveis causas em adultos incluem: - Obesidade - Gestações múltiplas - Líquido na cavidade abdominal (ascite) - Cirurgia abdominal anterior.
Causas

Sintomas

As hérnias umbilicais geralmente podem ser vistas quando o bebê está chorando, rindo ou esforçando-se para usar o banheiro. O sintoma revelador é um inchaço ou protuberância perto da cicatriz umbilical. Uma hérnia umbilical geralmente pode ser vista depois que o coto umbilical cai, dentro de algumas semanas após o nascimento. Mas, algumas crianças não apresentam hérnia até que estejam um pouco mais velhas. As hérnias umbilicais podem variar em tamanho. Elas raramente são maiores do que 2,5 cm de diâmetro. A maioria das crianças não sente a dor da hérnia. Os adultos podem obter hérnias umbilicais também. O sintoma principal será o mesmo inchaço ou protuberância perto da área do umbigo.

Diagnóstico

O diagnóstico de hérnia umbilical geralmente é feito apenas observando a aparência do umbigo da criança ou adulto. Para verificar a forma e tamanho da hérnia, o médico ou médica pode apertá-la e puxá-la.

Tratamento

A maioria das hérnias umbilicais em bebês se fecha por conta própria dentro de aproximadamente 18 meses. O médico ou médica pode até mesmo ser capaz de empurrar a protuberância de volta para o abdômen durante um exame físico. Para as crianças, a cirurgia é normalmente reservada para hérnias umbilicais que: - São dolorosas - São maiores do que 1,5 centímetros de diâmetro - Não diminuem de tamanho após seis a 12 meses - Não desaparecem até os três anos de idade - Se prendem aos intestinos ou causam bloqueio. Para os adultos, a cirurgia é normalmente recomendada para evitar possíveis complicações - especialmente se a hérnia umbilical fica maior ou se torna dolorosa. Durante a cirurgia, uma pequena incisão é feita na base do umbigo. O tecido da hérnia é retornado para a cavidade abdominal e a abertura é costurada. Em termos gerais, o tratamento cirúrgico em adultos deve incluir o implante de uma prótese (tela) para reforço da área fragilizada. Em geral, somente o procedimento cirúrgico é eficaz para tratar a hérnia. Qualquer outro recurso poderá, no máximo, atenuar os sintomas. Sem o tratamento adequado, a doença tende a progredir e corre o risco de exigir cirurgia de urgência.