Doença Hepática Alcoólica

Lesão no fígado causada pela ingestão excessiva de álcool

Sobre a doença

A doença hepática alcoólica é a lesão no fígado causada pela ingestão excessiva de álcool. Em geral, a quantidade de álcool consumido (cerca de 20g/dia nas mulheres e 40g/dia nos homens) determina a probabilidade e a importância da lesão hepática. Contudo, nem todas as pessoas que bebem excessivamente desenvolvem hepatite alcoólica, enquanto pessoas que bebem menos podem ter a doença.

As mulheres são mais vulneráveis à doença hepática alcoólica do que os homens. O álcool pode provocar três tipos de lesões hepáticas: a acumulação de gordura (esteatose), a inflamação (hepatite alcoólica) e o aparecimento de cicatrizes (cirrose).

Causas

Quando o álcool é metabolizado no fígado, ele produz substâncias altamente tóxicas. Estas substâncias podem causar inflamação no fígado, um quadro conhecido como hepatite alcoólica. Se essa inflamação persistir cronicamente, surgem cicatrizes no órgão (fibrose). Quando a fibrose é muito extensa, o quadro se caracteriza como cirrose. Apesar do alto consumo de álcool provocar a doença hepática alcoólica, não se sabe exatamente como a doença se desenvolve. Dessa forma, outros fatores podem estar envolvidos no surgimento da doença, tais como: - Fatores genéticos que afetam o modo como o corpo processa o álcool - Presença de outras doenças do fígado, tais como a hepatite C - Subnutrição.
Causas

Sintomas

Assim como os sintomas de cirrose, a doença hepática alcoólica apresenta amarelamento da pele e dos olhos (icterícia) e aumento da circunferência abdominal (devido ao acúmulo de líquido) podem ocorrer quando a cirrose já está instalada. Antes dessa fase, as pessoas podem também queixar-se de: - Perda de apetite - Náusea e vômitos - Dor abdominal - Perda de peso. Quase todo mundo que tem hepatite alcoólica é desnutrido. Beber grandes quantidades de álcool suprime o apetite, e bebedores pesados obtêm a maioria de suas calorias na forma de álcool. Os sintomas de doença hepática alcoólica grave incluem: - Retenção de grandes quantidades de líquido na cavidade abdominal (ascite) - Confusão e mudanças de comportamento devido a danos cerebrais do acúmulo de toxinas (encefalopatia) - Insuficiência renal e hepática. Contudo, algumas pessoas com doença hepática alcoólica podem não apresentar sintomas mesmo em fases avançadas da doença. Dessa forma, é importante fazer exames preventivos e buscar ajuda médica se houver suspeita de qualquer doença relacionada ao consumo de álcool.

Tratamento

Pare de beber álcool: Se você foi diagnosticado com doença hepática alcoólica, é necessário interromper o consumo de álcool. É a única maneira de possivelmente reverter danos ao fígado ou, em casos mais avançados, prevenir que a doença se agrave. Muitas pessoas que param de beber têm melhora dos sintomas em apenas alguns meses. Faça tratamento para desnutrição: Pode ser necessária uma dieta especial para reverter deficiências nutricionais que ocorrem frequentemente em pessoas com doença hepática alcoólica. Se você tiver problemas para comer o suficiente e obter as vitaminas e nutrientes que seu corpo precisa, pode ser que você precise se alimentar por sonda. Medicamentos para reduzir a inflamação do fígado: Medicamentos corticosteroides podem ser usados para hepatite alcoólica grave. Os esteroides têm efeitos colaterais significativos e não são recomendados se você tiver problemas renais, sangramento gastrointestinal ou uma infecção. Transplante de fígado: Para casos graves, o transplante de fígado é a única esperança. As taxas de sobrevivência para transplante de fígado para hepatite alcoólica são semelhantes aos de outras formas de hepatite, superior a 70% nos cinco primeiros anos.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir a doença hepática alcoólica é evitar o álcool, ou, se você bebe, a fazê-lo com moderação. A doença hepática alcoólica também pode ser prevenida através de uma nutrição adequada e proteção contra as hepatites virais.