Constipação Intestinal

Doença conhecida como "Prisão de Ventre"

Sobre a doença

A constipação intestinal, também conhecida como prisão de ventre, é caracterizada por uma diminuição da frequência das evacuações, associada à dificuldade ao evacuar, pois as fezes estão ressecadas e endurecidas, difíceis de serem eliminadas. A constipação ocorre pelo reduzido conteúdo de fezes e permanência prolongada do conteúdo fecal no intestino.

Causas e Sintomas

As duas principais causas de aparecimento e agravamento da constipação intestinal são a baixa ingestão de alimentos ricos em fibras e a baixa ingestão de líquidos. Podemos considerar outras situações como gravidez, obesidade, falta de exercícios físicos e abuso de laxantes. O principal sintoma é a dor provocada pelo esforço excessivo ao evacuar, muitas das vezes acompanhada de sangramento e sensação de evacuação insatisfatória ou incompleta. A principal queixa de quem tem este problema é o número reduzido de evacuações (cerca de 1 semana sem usar o banheiro). Pode ocorrer a formação de fecaloma, que é uma massa de fezes dura e imóvel que o paciente não consegue eliminar sozinho.
Causas e Sintomas

Consequências

Se a constipação intestinal não for tratada adequadamente, a longo prazo, pode evoluir e gerar novas e graves complicações para o organismo. São: - Diverticulose: saculações do revestimento interno do intestino para fora de suas paredes. - Hemorroidas: dilatações tortuosas dos vasos sanguíneos da região anal, que podem sangrar, além de causar dor e coceira, provocadas por fezes ressecas e esforço exagerado ao evacuar. - Fissuras anais: pequenos "cortes" na região anal, provocados por fezes ressecadas e esforço ao evacuar, gerando dor, sangramento e ardência ao evacuar. - Câncer de intestino: a constipação intestinal também está relacionada com o aumento da possibilidade de desenvolver câncer de intestino, devido a lentidão do trânsito intestinal e consequente aumento na formação e no contato de substâncias cancerígenas encontradas nas fezes com a parede do intestino grosso, além da alteração da flora intestinal.

Ingestão de Fibras

Como as fibras são as principais aliadas no tratamento e prevenção da constipação intestinal, devemos ingerir cerca de 25 a 30 gramas delas por dia. As principais fontes de fibras são os vegetais (legumes, verduras de folha, raízes), frutas (frescas ou secas), leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico, fava, soja), cereais integrais (pão, arroz, massa, aveia), oleaginosas (noz, avelã, amêndoa), e sementes (gergelim, frutas). Alguns medicamentos podem ser indicados pelo seu médico para fazer a suplementação das necessidades diárias de fibras. Elas também podem auxiliar em outras condições como Diabetes tipo 2, Hipercolesterolemia (excesso de colesterol no sangue) e em dietas de emagrecimento. No tratamento da Diabetes tipo 2 e Hipercolesterolemia, as fibras auxiliam na diminuição da absorção dos açúcares e gorduras. Com relação às dietas de emagrecimento, as fibras auxiliam na saciedade e na diminuição do apetite. Consulte o seu médico ou nutricionista para saber mais sobre a importância das fibras na alimentação.

Dicas de Ouro

- Mantenha uma alimentação saudável rica em fibras: frutas, verduras, legumes e cereais. - Faça refeições regulares (café da manhã, almoço e jantar) e coma devagar, mastigando bem os alimentos. - Evite a ingestão em excesso de alimentos constipantes, tais como massas com farinhas refinadas, batata, chocolate, chá mate ou chá preto. - Beba líquidos em abundância. Inclua em sua dieta muita água e sucos naturais, na quantidade mínima de 1,5 litro diários. - Vá ao banheiro sempre que tiver vontade. Deixando para depois as fezes podem ficar secas e endurecidas, difíceis de serem eliminadas. - Evite o uso abusivo de laxantes. Utilize medicamentos apenas com orientação médica. - Faça exercícios com regularidade. Comece caminhando, pedalando ou nadando, no mínimo 3 vezes por semana. Aumente o tempo progressivamente, respeitando o seu condicionamento físico.