Hemorroidectomia

Remoção cirúrgica das hemorroidas

Sobre a cirurgia

A hemorroidectomia é a cirurgia de remoção das hemorroidas. Elas são divididas em 3 técnicas: grampeamento, ressecção ou desarterialização.

Após o diagnóstico, o indivíduo passa por uma análise clínica em que o melhor tratamento é recomendado. A cirurgia é indicada quando os sintomas permanecem mesmo após a realização do tratamento clínico adequado (por meio de pomadas, cremes, medicamentos orais e dieta específica rica em fibras), quando houver complicações ou em hemorroidas grandes.

Caso a cirurgia seja definida como a melhor opção, devemos destacar que ela pode ser realizada de três diferentes modos. São eles:

Ressecção
O método de ressecção consiste na remoção por completo dos “mamilos hemorroidários”. Neste caso, o indivíduo é colocado em posição ginecológica ou com a barriga para baixo. O médico irá utilizar bisturis elétricos ou laser. A ferida deve permanecer aberta e cicatrizar com o tempo.

TDH
Já o TDH – Desarterialização das Hemorroidas Guiadas por Doppler – é um método indicado unicamente para o tratamento de hemorroidas internas. Ele é realizado por meio de um anuscópio com um ultrassom (doppler) na ponta. Graças a ele, o médico consegue localizar as artérias retais do paciente, realizando sua ligadura e uma sutura em chuleio sobre o mamilo dilatado, com o intuito de promover sua diminuição.  A dor no pós operatório é bem menor quando comparada com o método tradicional e sua recuperação bem mais rápida.

PPH
Por fim, o método PPH, conhecimento popularmente como grampeamento, promove uma “sutura mecânica” com a utilização de grampos metálicos. Tem uma recuperação rápida, porém complicações tem sido associadas ao uso desse método.

Para saber a cirurgia mais recomendada entre em contato com um médico proctologista.

Para quem a cirurgia de hemorroida é recomendada?
A cirurgia de hemorroida é indicada para o tratamento da doença no caso de:
- Hemorroidas do tipo externas com trombose de repetição
- Hemorroidas internas com ligadura elástica contraindicada
- Falta de eficácia do tratamento clínico
- Inchaço ou dores crônicas durante ou após as evacuações
- Prolapso (principalmente quando ele passa a interferir no bem-estar)
- Sangramento frequente e insistente (principalmente quando ele leva à condição de anemia)
- Entre outros.